Regina Porto

Documentalista, pesquisadora musical, compositora e sound designer. Ingressante no Mestrado Acadêmico em Ciência da Informação pela ECA-USP (2018) com ênfase em Organização do Conhecimento, desenvolve pesquisa interdisciplinar no âmbito da musicologia, documentação, linguística e memória. É bacharela em Biblioteconomia pela FESPSP (2017), estudou Comunicação na USP (1978-1980, básico), formou-se em piano pelo Conservatório Dramático e Musical de São Paulo (1976), estudou análise, estética e regência em cursos livres do maestro teuto-brasileiro Hans-Joachim Koellreutter (1985-1995) e recebeu Bolsa Vitae (1999). Foi produtora e diretora da Rádio Cultura FM de São Paulo (1986-1997), editora de música da revista Bravo! (1997-2002), curadora de música contemporânea do Instituto CPFL (2004-2010) e documentarista audiovisual do projeto Acervo OSESP (2012-2014). Tem artigos e ensaios publicados pelos jornais Valor Econômico e Folha de S.Paulo, pelas revistas Bravo!, República e OSESP e por periódicos acadêmicos da UFRJ, CBM e UFBA. Participou de congressos de música, rádio e artes acústicas nos EUA, Alemanha, Itália e Finlândia e promoveu intercâmbios institucionais na Suécia, França, Cuba e Rússia (1989-1994). Foi coordenadora executiva do I Simpósio de Música, Ciência e Tecnologia realizado no Brasil pelo instituto francês IRCAM com o apoio da FAPESP (2004). Ministrou cursos livres e de extensão na SP Escola de Teatro (2011-2018), no Centro Cultural São Paulo (2015) e na Oficina Três Rios (1990). No âmbito da Arquivística Contemporânea, é certificada em 127h (cento e vinte e sete horas) de participação como ouvinte em seminários, simpósios, palestras e conferências com foco em Preservação Digital, Acervos Analógicos e Digitais, Serviços e Sistemas de Informação, Gestão do Conhecimento e Gestão da Informação Pública, em eventos promovidos pela Pinacoteca SP, pelo Centro de Memória do SESC, pelo Arquivo Histórico & Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, pela Fundação Bunge, pelo Arquivo do Estado de São Paulo, pelo Arquivo da USP e pela FESPSP (2013-2017). Como compositora, escreveu trilhas para filmes documentários, espetáculos de dança e exposições visuais, com destaque para trabalhos dedicados aos livros “Grande Sertão: Veredas”, de João Guimarães Rosa, e “Os Sertões”, de Euclides da Cunha. Como designer sonora, recebeu encomenda da emissora de rádio alemã WDR (2000) e teve peças acústicas difundidas pela Documenta 14 de Kassel (2017). Desenvolve pesquisa documental sobre o Acervo Koellreutter e investiga a linguagem musical do compositor francês Claude Debussy.