Lílian Campesato

Musicista e pesquisadora com ênfase na experimentação de meios híbridos e não usuais de criação sonora, especialmente performances. Seus trabalhos exploram o uso da voz e gesto combinados a recursos eletrônicos e audiovisuais. Trabalha como curadora de mostras de música experimental e arte sonora desde 2011, tais como: Conexões Sonoras 2: mostra de arte multimídia (Museu da Imagem e do Som – 2011) Música? 9: Partituras Verbais (Ibrasotope ? 2014), FIME (Festival Internacional de Música Experimental) ? julho 2015. Tem se apresentado regularmente como artista sonora e performer em eventos no Brasil e exterior como: FILE Hipersônica 2007 e 2008 (São Paulo e Rio de Janeiro), SBCM 2007 (São Paulo), Re:New 2008 Digital Arts Forum (Copenhagen, Dinamarca), no 5th Sound and Music Computing Conference (Porto, Portugal), no EIMAS 2010 – Encontro Internacional de Música e Arte Sonora (Juiz de Fora), 10 Festival Internacional de la Imagen, 2011 (Manizales, Colômbia), Sonorities: Festival of Contemporary Music 2012 (Belfast, Irlanda do Norte), Escuchar: ciclo de arte sonoro y musica experimental 2012 (Buenos Aires, Argentina), Festival Klem-Kuraia 2012 (Bilbao, Espanha). Realizou doutorado na Universidade de São Paulo com a tese ?Vidro e Martelo: contradições na estetização do ruído na música?, que trata de diferentes concepções sonoras na música e nas artes a partir das relações de incorporação e rejeição do ruído. Atualmente realiza pós-doutorado junto ao NuSom ? Núcleo de Pesquisas em Sonologia da Universidade de São Paulo com uma pesquisa que investiga os discursos acerca dos contornos e limites da música. Foi uma das criadoras do Sonora, um grupo dedicado à discussão da participação das mulheres na música.

//
http://liliancampesato.tumblr.com